Últimas duas escolas são desocupadas após protesto de alunos de SP

São Paulo - Foram desocupadas na manhã desta terça-feira, 19, as últimas duas escolas tomadas pelos alunos da rede estadual de São Paulo, em protesto contra a reorganização escolar do governador Geraldo Alckmin (PSDB). No auge dos protestos, 196 escolas foram tomadas. As escolas estaduais Anhanguera, na Lapa, e Godofredo Furtado, em Pinheiros, foram as últimas a ser entregues porque os alunos reivindicavam melhorias na estrutura das unidades.

Em uma rede social, os alunos que ocuparam a escola Anhanguera comemoraram o período em que a unidade ficou tomada. "Todos os ocupantes e apoiadores parem e pensem o quão grande foi esse movimento, levem para sua vida todo o aprendizado que adquiriram nesses 53 dias [de ocupação da unidade]", disseram. Eles ainda afirmaram que a decisão de entregar a escola foi exclusiva dos estudantes.

Nas duas unidades, a Secretaria de Educação já havia iniciado a reposição de aulas do ano letivo de 2015 em outras escolas da região. Os alunos da escola Anhanguera iniciaram a reposição na escola estadual Alexandre Von Humboldt, e os da Godofredo Furtado, na escola estadual Alfredo Bresser.

Reorganização

No auge dos protestos, 196 escolas ficaram ocupadas por estudantes e alguns movimentos sociais contra a reorganização do ensino. O processo foi suspenso por Alckmin depois de divulgada pesquisa do Datafolha que mostrava queda de popularidade do governador. Além disso, Ministério Público Estadual e Defensoria Pública entraram com ação para barrar a medida. A reorganização buscava a separação dos alunos por ciclos para que, segundo o governo, houvesse melhoria no desempenho.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos