Rui Falcão: pedido de extinção do PT é mais uma atitude antidemocrática do PSDB

Brasília - O presidente nacional do PT, Rui Falcão, reagiu à representação protocolada pelo PSDB nesta quarta-feira, 20, na Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE), na qual o partido pede a extinção do PT, caso sejam confirmadas denúncias de corrupção contra a sigla petista feitas pelo ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Em nota, Falcão afirmou que o PSDB tenta criar "mais um factoide" e tem mais uma "atitude antidemocrática".

Em documentação entregue à Procuradoria-Geral da República (PGR) antes do acerto da delação premiada, Cerveró acusou a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de 2006 de receber R$ 50 milhões em propina, oriundos de uma negociação para a compra de US$ 300 milhões em blocos de petróleo na África em 2005. As informações foram divulgadas pelo jornal Valor Econômico na última segunda-feira, 18.

Na ação protocolada nesta quarta na PGE, o PSDB argumenta que o eventual recebimento de dinheiro do exterior para uso na campanha presidencial do PT de 2006, conforme apontado por Cerveró, é vedado pela Constituição Federal de 1988 e pressupõe a perda do registro partidário. Em delação premiada, Cerveró chegou a indicar também recebimento de propina no valor de US$ 100 milhões pelo "governo FHC".

"As contas de 2006 a que o PSDB se refere na ação foram aprovadas pelo TSE. Assim, o que o jurídico dos tucanos faz agora é mais um factoide", rebateu Rui Falcão."Mais uma atitude antidemocrática daqueles que não aceitam as sucessivas derrotas eleitorais. O Partido dos Trabalhadores é maior do que tudo isso. Seguiremos em frente. Eles não passarão!", acrescentou o dirigente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos