Antes de ir ao Congresso, Dilma brinca: 'minha vida é dura'

De Brasília

  • Alan Marques/ Folhapress

Uma hora antes de ir ao Congresso entregar a sua mensagem, a presidente Dilma Rousseff deixou o almoço com o presidente da Bolívia, Evo Morales, dizendo que não poderia falar com a imprensa porque tinha trabalho a fazer. "A minha vida é dura, tenho que trabalhar", disse a presidente em tom de brincadeira na saída do Palácio do Itamaraty nesta terça-feira (2).

Em meio ao processo de impeachment, Dilma decidiu ir pessoalmente ao plenário da Câmara participar da cerimônia de abertura do ano legislativo. Esta será a segunda vez que ela faz isso desde que chegou à Presidência, em 2011.

Normalmente o texto é levado pelo ministro-chefe da Casa Civil. Em 2011, quando iniciou seu primeiro mandato, Dilma prestigiou a cerimônia dos trabalhos da 54ª legislatura.

Na mensagem de 2016, Dilma pedirá apoio para aprovar medidas para tirar o País da crise e ajudar a economia a voltar a crescer. Ela irá reiterar aos parlamentares o apelo que tem feito pela volta da CPMF, a prorrogação da Desvinculação de Receitas da União (DRU) e o debate da reforma da Previdência.

A tramitação do processo que pede o seu afastamento do cargo, porém, não vai ser tratada no texto. Segundo auxiliares de Dilma, essa não é uma agenda do governo e sim um assunto que deve ser resolvido pelo Congresso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos