Justiça ordena a prisão de secretários de saúde do Rio

Do Rio de Janeiro

  • Divulgação/Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro

    Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde do Rio Janeiro

    Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde do Rio Janeiro

A Justiça do Rio ordenou nesta quinta-feira (18), a prisão dos secretários municipais de Saúde do Rio, Daniel Soranz, de Niterói (Região Metropolitana), Solange Regina de Oliveira, e de Duque de Caxias (Baixada Fluminense), Camillo Léllis Junqueira.

Segundo o juiz Eduardo Oberg, da Vara de Execuções Penais, eles descumpriram uma decisão judicial emitida em dezembro passado pela própria Vara de Execuções Penais que determinava, no prazo de 60 dias, a transferência de pacientes que estavam presos e cumpriam pena no Hospital Psiquiátrico Henrique Roxo, em Niterói, para unidades de saúde comuns. Eles deveriam ser transferidos porque já cumpriram a pena. A multa por dia de descumprimento da decisão é de R$ 10 mil.

A solicitação para que os pacientes fossem transferidos partiu da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap). Segundo o requerimento, os pacientes permaneciam abrigados nos hospitais psiquiátricos porque não possuem mais laços com parentes, que os rejeitaram ou morreram.

O secretário de Saúde do Rio, Daniel Soranz, foi levado para a 6ª DP (Cidade Nova), segundo policiais civis, mas deve ser liberado após prestar depoimento ainda na noite desta quinta (18) ou madrugada de sexta-feira (19).

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio ainda não se manifestou sobre o caso, assim como as pastas da Saúde de Niterói e Duque de Caxias. Os advogados dos secretários também não foram localizados até a noite desta quinta-feira (18).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos