Cardozo nega relação de Santana com Dilma e acusa oposição de 'especular'

Brasília - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quinta-feira, 25, que a prisão do marqueteiro João Santana "não tem nenhuma relação" com a presidente Dilma Rousseff. "Há sim uma clara tentativa de setores da oposição de fazer especulações e tentar reverter o resultado das urnas", disse o ministro ao deixar a cerimônia de posse da nova cúpula do Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília.

Cardozo afirmou que não acredita que a prisão de Santana possa influenciar os processos de impeachment da presidente que estão em curso, inclusive o que está no TSE e pode culminar com a cassação da chapa de Dilma e do vice Michel Temer. "Não acredito sinceramente que nenhum desses processos tenha algum fato que possa justificar a cassação do mandato", destacou o ministro, ressaltando que os oposicionistas fazem "marolas" para criar crises. "Essa é uma política ruim para o País."

Questionado sobre as investigações em torno do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e possíveis problemas entres os poderes, o ministro disse que não vê dificuldades institucionais porque "o Brasil tem instituições fortes".

Nesta tarde, tomou posse à frente do TST o ministro Ives Gandra Martins Filho. Participaram do evento o vice-presidente Michel Temer, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, o ministro do Trabalho e Previdência, Miguel Rossetto, entre outras autoridades.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos