Governo teme confrontos de manifestantes pró e contra Lula

Brasília, 04 - Cresce no governo a preocupação com os protestos, principalmente diante do enfrentamento de manifestantes pró e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como está ocorrendo em São Paulo. O temor do governo é que estes confrontos desencadeiem uma onda de violência.

O ministro da Advocacia-Geral da União, José Eduardo Cardozo, disse que "o acirramento de conflitos não é desejável". Acrescentou ainda que espera que "realmente haja uma situação de tranquilidade para que se supere, dentro da lei, dentro da Constituição, estas situações". E emendou: "é muito importante que busquemos equacionar esta questão".

Temendo agravamento da crise, o Exército, por prevenção, em São Paulo, deixou de "sobreaviso" um batalhão. Estes militares, no entanto, só serão acionados caso haja alguma solicitação do governador do Estado ou da própria Presidência da República, para ajudar a devolver a ordem pública, no caso de a Polícia Militar local ser insuficiente para controlar a situação. No final do dia, no entanto, a avaliação no Planalto era de que os ânimos estavam menos acirrados.

Em Brasília, cerca de 30 manifestantes protestavam contra a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, em frente a Palácio do Planalto. O protesto começou com apenas cinco pessoas que carregavam três bonecos: dois "Pixulecos", como ficaram conhecidos os infláveis com o rosto de Lula, e um "japonês da Polícia Federal".

Eles soltavam fogos e faziam muito barulho. Os carros que passavam pelo local promoveram um buzinaço e, à medida em que o tempo foi passando, mais manifestantes foram se aglomerando.

O governo já começa a prever que os protestos marcados pela oposição para o dia 13 de março poderão tomar corpo, depois da divulgação da delação de Delcídio Amaral e da convocação de Lula para depor. Desde cedo, o Planalto destacou uma equipe para monitorar as redes sociais e constatou que a adesão ao protesto do dia 13 cresceu exponencialmente.

Rede Globo

Em Brasília, militantes do PT e de movimentos de apoio ao governo Dilma e ao ex-presidente Lula fazem manifestação em frente à sede da Rede Globo. Segundo um agente da Polícia Militar, estão presentes cerca de mil manifestantes.

Eles gritam palavras de ordem como: "Lula é meu amigo, mexeu com ele, mexeu comigo"; "A verdade é dura, a Rede Globo apoiou a ditadura", e "Agora é diferente, mexeu com Lula, mexeu com a gente".

Os manifestantes estão posicionados em frente ao portão de entrada da emissora e um carro de som do movimento também está estacionado no local, bloqueando o acesso ao prédio. Seguranças da empresa tentam conter o movimento e a Polícia Militar já está no local para reforçar a segurança. A PM também bloqueou o acesso à rua. Há pouco, os manifestantes destruíram a placa na porta de entrada da emissora.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos