STF decide manter fatiamento da Lava Jato relativo à Eletronuclear

Brasília - A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal negou nesta terça-feira, 15, um recurso da Procuradoria-Geral da República que tentava reverter o fatiamento da Operação Lava Jato. Com a decisão, as investigações sobre corrupção na estatal Eletronuclear, subsidiária da Eletrobrás, vão continuar sob a condução da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro e não voltam para as mãos do juiz Sérgio Moro, de Curitiba.

No recurso, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, argumentava que havia identidade de provas, pessoas, empresas e partidos nos esquemas de cartel e corrupção na Petrobrás e do caso que vem sendo chamado de "eletrolão" e que, por isso, deveria ser julgado por Moro. A investigação apura corrupção e propina nas obras da Usina Nuclear de Angra 3.

A discussão sobre o fatiamento havia sido suspensa após pedido de vista do ministro Dias Toffoli e foi retomada nesta terça. Relator da Lava Jato no Supremo, o ministro Teori Zavascki havia votado contra o pedido da PGR por entender que os dois casos não tinham conexão. Esse entendimento foi seguido por Toffoli e pela ministra Cármen Lúcia. Os dois outros ministros da Turma, Gilmar Mendes e Celso de Mello, votaram a favor do pedido de Janot.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos