Aécio diz que uso de reservas internacionais teria consequências perigosas

Brasília - O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), afirmou nesta quarta-feira, 16, que o eventual uso de reservas internacionais, administradas pelo Banco Central, pode ser um gesto extremo com consequências perigosas para o País.

A medida voltou a ser ventilada com a ida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a Casa Civil, embora a presidente Dilma Rousseff tenha sido enfática na defesa da preservação das reservas, na entrevista coletiva concedida esta tarde.

Na segunda-feira, o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner (que será substituído por Lula na pasta), informou que o governo ainda avaliava a possibilidade de utilizar parte das reservas para abatimento da dívida pública. Aécio disse que o mercado vê essa possibilidade da pior forma possível.

"É preciso que estejamos absolutamente atentos à tentação que pode significar a chegada de Lula ao ministério de voltarmos a atitudes, do ponto de vista macroeconômico, absolutamente irresponsáveis, como a nosso ver seria a utilização das reservas seja para abatimento da dívida como para investimentos", criticou o tucano.

Para ele, a única possibilidade de haver retorno de investimentos é com a saída de Dilma. Ele disse que o objetivo da oposição é atuar para o afastamento da presidente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos