Erundina diz que nomeação de Lula reforça preconceito contra mulher

Em Brasília

  • Donaldo Hadlich/Estadão Conteúdo

A ex-prefeita de São Paulo, deputada federal Luiza Erundina (PSOL-SP), afirmou nesta quarta-feira (16), no plenário da Câmara dos Deputados, que a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil "reforça o preconceito contra a mulher".

Ela afirmou que discorda da versão de que Lula está entrando no governo para salvar Dilma e responsabilizou a presidente por erros durante a sua gestão.

"Não aceito essa versão de que o Lula veio para corrigir, para pôr o governo na linha, para resolver os problemas do país. Não é verdade, porque, se a presidente tivesse feito uma aliança com a sociedade civil organizada, se tivesse governado com o povo, ela não estaria hoje na situação em que se encontra", criticou. Segundo ela, esse discurso "fere a luta e as conquistas do movimento feminista pelo empoderamento das mulheres".

Além de reforçar a ideia de que a mulher "precisa da tutela do homem". "Fica aqui o meu protesto e lamento do quanto isso é um desserviço para a luta das mulheres", finalizou.

Nesta terça-feira (15), Erundina deixou o PSB e oficializou a sua filiação ao PSOL. A mudança ocorreu após o PSB sinalizar a possibilidade de apoiar o impeachment da presidente Dilma. A deputada também articula a fundação do seu próprio partido, a Raiz Movimento Cidadanista, inspirado em partidos socialistas europeus.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos