Líder do PT na Câmara diz que não há ilegalidade na ligação de Dilma para Lula

Em Brasília

O líder do PT na Câmara, Afonso Florence (BA) afirmou que a ligação da presidente Dilma Rousseff para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi um "ato estritamente administrativo". O motivo, segundo ele, seria a publicação do cargo no Diário Oficial da União, assim como foi realizado com os outros ministros.

"A presidente decidiu, por força de circunstâncias políticas no país, nomear outros ministros e tomou a providência devida. Fez uma ligação que é límpida, explícita, não há nenhuma ilegalidade", afirmou, dizendo que o único ato que fugiu à normalidade foi o vazamento da gravação.

Florence pediu "serenidade, respeito ao processo legal e que a condução dessa situação tenha paz social". Depois de diversas manifestações contra o governo em plenário na noite desta quarta-feira, que teve sessão encerrada por conturbação, Florence disse que "há ânimos exaltados por parte da oposição".

Nesta noite, o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) causou um tumulto na Câmara ao colocar no sistema de som do Plenário da Casa o áudio interceptado do telefonema da presidente Dilma Rousseff ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A oposição reagiu imediatamente com gritos de "renúncia".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos