Lei deve cortar gastos com auxílio-aluguel

São Paulo - Localizar terrenos e prédios vazios na cidade e devolver esses imóveis ao mercado pode ser uma maneira de reduzir os gastos da Prefeitura com um outro programa social, a Bolsa Aluguel, que já alcança 30 mil famílias na capital. Cada família do programa recebe R$ 400 mensais.

De acordo com Mário Reali, secretário adjunto da Habitação, os imóveis notificados podem ser aproveitados para habitação social, por meio da Lei do Consórcio, atendendo à demanda por moradia, além de reduzir custos também em outra ponta. Além do dinheiro do auxílio-aluguel, segundo Reali, a Prefeitura já gastou R$ 700 milhões com desapropriações para habitação. A nova lei, dizem os criadores, permite uma lógica de negócios imobiliários menos dependente do orçamento público.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos