Protesto de taxistas prejudica passageiros em aeroporto no Rio

Rio de Janeiro - Passageiros que desembarcaram nesta sexta-feira, 1, no Aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio não encontraram táxis para se deslocar pela cidade. Desde o início da manhã, motoristas que fazem ponto no aeroporto paralisaram as atividades em protesto contra o aplicativo Uber. Funcionários da Infraero orientavam os passageiros a utilizarem ônibus ou percorrerem a pé o caminho até o centro da cidade. Taxistas que tentavam embarcar passageiros eram hostilizados e o policiamento teve que ser reforçado na região.

O bancário Frederico Tinoco, que chegou de São Paulo, era um dos que cogitavam a segunda opção. "Tenho uma reunião no centro e estou há meia hora tentando um táxi. Se soubesse dessa greve nem teria embarcado para o Rio hoje. Estou pensando em fazer o meu trajeto a pé, mas, com esse calor e usando terno, a caminhada de 30 minutos não vai ser boa. Acho que a luta deles contra um serviço não homologado é justa, mas manifestar parando a cidade acho errado. Vira bagunça", disse.

A taxista Maria da Graça Fernandes, de 68 anos e há 20 na profissão, passou pelo aeroporto com o carro enfeitado com bandeiras do Brasil. "Não é justo eu, que trabalho na madrugada, ver o passageiro entrar em um carro particular." Gasto R$ 700 reais de taxas todos os anos para manter o custo do carro", reclamou.

Ato

Desde o início da manhã desta sexta, taxistas do Rio de Janeiro promovem manifestações em diferentes pontos da capital fluminense em protesto contra o aplicativo Uber e contra o que consideram lentidão da prefeitura e da Justiça para proibi-lo. Os profissionais seguem em carreata em vias de grande movimento, como Avenida Brasil, Via Dutra, Ponte Rio-Niterói, Rodoviária Novo Rio e nas proximidades dos aeroportos Santos Dumont, no Centro, e Antônio Carlos Jobim (Galeão), na Ilha do Governador.

Na Avenida Atlântica, em Copacabana, após reunião no Posto 6, taxistas ocuparam as três faixas da pista, no sentido centro. Vias expressas foram afetadas com grande congestionamentos, como a Linha Amarela e Linha Vermelha. Taxistas de Niterói e São Gonçalo também se deslocaram para a ato na capital.

O taxista Ernane Nunes contou que participa da manifestação para pressionar o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), a ser mais rigoroso com o Uber. "Nosso dinheiro está sendo tirado por um grupo que ninguém sabe quem é. Enquanto nós fazemos quatro vistorias por ano, eles não fazem nada e não são cobrados como a gente, em toda esquina", argumentou.

Desconto

O Uber divulgou nota em que informa que dará desconto de R$ 20 aos passageiros que tenham como início ou término em uma lista de locais afetados pelo movimento. O Uber também lançou a hashtag #ORIONAOPARA. (Colaborou Wilson Tosta)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos