Cunha rebate declarações de Renan por meio de nota

Brasília - O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), rebateu a declaração do presidente do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), de que ele só iria "atrapalhar" tentando interferir no rito do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em nota, Cunha afirma que, em momento algum, declarou que iria paralisar os trabalhos da Casa. Apenas disse que a Câmara poderia parar por vontade da maioria dos parlamentares. Ontem, o deputado havia pedido celeridade no rito do impeachment no Senado.

"Eu como presidente vou colocar a pauta para votar, os partidos é que vão decidir", cita na declaração. No texto, Cunha reforça que a pauta de votações da Casa continua a mesma. Ontem, ele avaliou que não será votado nenhum projeto na Câmara a não ser que seja para "derrubar" e que, caso a falta de votações pudesse gerar um "shutdown" na economia do País, seria mais um motivo para o Senado se "apressar". "A Câmara dificilmente vai participar de uma sessão do Congresso para votar esse projeto (da redução da meta)", sinalizou.

Ainda durante coletiva, nesta terça-feira, ele cometeu um equívoco ao dizer que "a Câmara derrubou o governo". Ele se corrigiu em seguida, após ser questionado, já que a decisão final sobre o afastamento da presidente Dilma ainda cabe ao Senado. "Como é que vão ficar as relações nas votações? Semana que vem o governo não será reconhecido pela Casa. Nós temos uma ainda presidente da República e ninguém vai reconhecer absolutamente nada a efeito de matérias", havia questionado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos