Comemoração do 1º de Maio no Rio vira ato de apoio a Dilma e contra Cunha e Temer

Rio de Janeiro - A comemoração do Dia do Trabalho promovida pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e outras entidades sindicais neste domingo na Lapa (região central do Rio) transformou-se em um ato de apoio à presidente Dilma Rousseff (PT) e contra o presidente da Câmara, o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o vice-presidente, Michel Temer (PMDB).

Líderes sindicais e políticos cariocas discursaram, e a maioria encerrou sua fala repetindo que "não vai ter golpe". Outros entoaram "Fora Cunha!". Não foi divulgada estimativa de público. O deputado federal Luiz Sérgio (PT-RJ) afirmou que "eles buscam implementar um programa (de governo) que não foi submetido ao voto", referindo-se à oposição.

Após uma sequência de discursos começaram os shows musicais, com os sambistas Monarco, Nelson Sargento, Noca da Portela e outros, ao lado da banda Tempero Carioca.

Os artistas também se manifestaram a favor da presidente. Aos 91 anos, Nelson Sargento, presidente de honra da escola de samba Mangueira, iniciou seu show afirmando que "é preciso arranjar uma espada para combater o golpe". A atriz Bete Mendes, ativista política que durante a ditadura militar (1964-1985) foi torturada pelo coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, defendeu o governo: "Nós temos que reagir e lutar".(Fábio Grellet)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos