Universidade de Campinas e HU terão greve na 2ª

O Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp (STU) aprovou na quarta-feira, 18, greve a partir de segunda-feira, 23. A categoria está em negociação salarial com a reitoria e pede o fim dos cortes de investimento. O movimento grevista nas instituições paulistas teve início na USP, no dia 12.

Os funcionários das três universidades paulistas estão em campanha salarial e pedem reajuste de 12,34%, mas tiveram uma contraproposta de apenas 3%, o que, segundo eles, não repõe nem sequer a inflação do período. A promessa das reitorias é de que essas perdas sejam ressarcidas futuramente, assim que a economia se recuperar e os repasses do governo do Estado aumentarem.

Hospital

Os funcionários do Hospital Universitário (HU) da USP também decidiram entrar em greve a partir de segunda-feira, quando a unidade deverá funcionar apenas com a equipe mínima de 30% dos servidores.

De acordo com a direção do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), a categoria reivindica a contratação de mais funcionários para o HU e reajuste salarial acima dos 3% propostos pelo conselho de reitores. Os trabalhadores também se posicionam contra a proposta de desvincular o hospital da USP.

Em apoio aos sindicatos e contra os cortes, os estudantes da USP e da Unicamp ocuparam o prédio do curso de Letras e a reitoria, respectivamente. Ontem, a Unicamp fez uma reunião de negociação com os estudantes, que terminou sem acordo. A universidade já conseguiu na Justiça um mandado de reintegração de posse do prédio.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos