Processo de impeachment

Lewandowski nega mais três recursos sobre impeachment de Dilma

Em Brasília

  • Alan Marques/Folhapress

    O presidente do STF, Ricardo Lewandowski

    O presidente do STF, Ricardo Lewandowski

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, negou nesta quinta-feira (9) mais três recursos que questionavam o funcionamento da comissão especial do impeachment no Senado.

Um deles pedia para que a comissão considerasse como prova os áudios gravados pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. O argumento é que o diálogo entre Machado e o senador Romero Jucá (PMDB-RR) é uma "prova que estaria diretamente relacionada com a alegação de desvio de finalidade do processo de impeachment".

Outro era um agravo da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), contra a decisão de dar apenas três minutos para cada senador fazer perguntas às testemunhas do processo. O terceiro requerimento era sobre o fato de a comissão ter votado de forma global os requerimentos para arrolar testemunhas e produzir evidências.

Lewandowski, que atua como presidente do processo de impeachment e tem como função julgar os recursos da comissão, ainda tem de decidir sobre um requerimento impetrado pela defesa da presidente afastada, Dilma Rousseff, para que solicita uma perícia independente nos documentos que embasaram a denúncia contra ela.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos