Vendas no varejo da Argentina despencam 9,8% em junho

Mais de seis meses após Mauricio Macri assumir a presidência da Argentina e a economia do país continua no marasmo. No mês passado, as vendas no varejo recuaram 9,8% na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com a CAME, que representa companhias de médio e pequeno porte.

"Este é o sexto mês consecutivo de declínio nas vendas, agravando a situação de companhias do setor, que tem baixa liquidez e enfrentas aumentos significativos nos custos de operação", diz a CAME.

As vendas de eletrodomésticos e eletrônicos foram as que mais caíram, recuando 19% no ano encerrado em junho. Desde que Macri assumiu a presidência, em Dezembro, o poder de compra de milhões de argentinos caiu fortemente, uma vez que a inflação dispara juntamente com as contas de serviços básicos. Ao mesmo tempo, os salários têm estagnado para muitas pessoas que estavam acostumaras a elevados aumentos salariais na gestão de Cristina Kirchner.

O governo Macri afirma que a inflação está em declínio e que novos investimentos devem ajudar a impulsionar as contratações e os salários nos próximos meses. Fonte: Dow Jones Newswires.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos