Professora acusa grupo de assédio

São Paulo - O programa Escola sem Partido já diz ter identificado docentes que teriam atitudes "doutrinadoras". Em 2013, uma professora de Comunicação da Faculdade de Tecnologia (Fatec) de Barueri teve os conteúdos e textos de suas aulas expostos nas redes sociais e em blogs.

"Foi um pesadelo, vivia como na ditadura. Tive de me afastar da sala de aula, recebia ligações de pessoas me ameaçando, atacavam minha filha nas redes sociais. Questionaram o fato de eu usar uma música do Chico Buarque e textos do Milton Santos", contou a professora, que pediu para não ser identificada.

Miguel Nagib, idealizador do Escola sem Partido, responde a dois processos por difamação. Em ambos, a Justiça determinou em decisão liminar que ele retirasse da internet os textos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos