Suspeitos da Operação Boca Livre são soltos

Em São Paulo

  • Reprodução

    Felipe Amorim é suspeito de ter bancado o próprio casamento, uma festa de luxo em Jurerê Internacional, com verbas da Lei Rouanet

    Felipe Amorim é suspeito de ter bancado o próprio casamento, uma festa de luxo em Jurerê Internacional, com verbas da Lei Rouanet

O Tribunal Regional Federal da Terceira Região soltou o empresário Antonio Carlos Bellini, dono da Bellini Cultural, e os filhos Felipe Amorim e Bruno Amorim, presos na Operação Boca Livre, que investiga fraudes de R$ 180 milhões na Lei Rouanet.

Felipe Amorim é suspeito de ter bancado o próprio casamento, uma festa de luxo em Jurerê Internacional, com verbas da Rouanet.

A decisão liminar é do desembargador Nino Toldo. O tribunal determinou fiança de 100 salários mínimos para Antonio Carlos e 50 mínimos para cada filho Felipe e Bruno.

Na semana passada, a Justiça encontrou R$ 159,71 em cinco contas do empresário Felipe Amorim. Em outras quatro contas do empresário Antonio Carlos Bellini Amorim, os investigadores não acharam um único centavo.

Em 12 contas dos Bellini, rastreadas pelo Banco Central, foram bloqueados R$ 161,56 --aqui somado aos R$ 1,85 localizados em três contas de Bruno. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Procuradora fala em 'condescendência criminosa' de funcionários do MinC

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos