Lira retira expressão 'relatório fraudulento' de notas taquigráficas

Brasília - Após uma acalorada discussão entre aliados e adversários da presidente afastada Dilma Rousseff, o presidente da Comissão Especial do Impeachment, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), anunciou nesta quinta-feira, 4, a retirada, das notas taquigráficas, da expressão relatório "fraudulento" usado pela senadora petista Fátima Bezerra (RN) para classificar o parecer do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG). O tucanos apresentou um texto favorável à condenação de Dilma por crime de responsabilidade.

Raimundo Lira disse que não iria reintroduzir essa expressão ao justificar que deveria seguir o Regimento Interno, a Lei do Impeachment e a Constituição Federal. Ele afirmou que, quando houve expressões desfavoráveis à Dilma, ele também mandou retirar dos registros taquigráficos do Senado.

Sob protestos, o presidente da comissão informou que, ao final da reunião, colocará em votação um pedido apresentado pela senadora Vanessa Grazziottin (PCdoB-AM) para que o colegiado faça a leitura na íntegra da transcrição dos debates.

O painel de votação do colegiado já foi aberto, mas o resultado só será conhecido depois que todos os senadores se pronunciarem na comissão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos