Temer convida cúpula do PSDB para jantar no Jaburu

De Brasília

  • Ueslei Marcelino/Reuters

Em mais uma tentativa de se reunir para conversar com os tucanos, com objetivo de azeitar as relações com o governo, o presidente em exercício, Michel Temer, convidou o senador Aécio Neves e a cúpula do PSDB no Congresso para um jantar nesta terça-feira (16) no Palácio do Jaburu.

Temer quer pedir apoio dos tucanos ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que tem sido alvo de críticas das lideranças do partido. O PSDB ficou também incomodado com a antecipação do debate sobre as eleições de 2018, mesmo Michel Temer reiterando que não será candidato. O incômodo com Meirelles tem a ver ainda com o fato de ele ser também um potencial candidato ao Planalto, nas eleições de 2018. Além disso, o PSDB tinha feito críticas ao governo também por considerar que o Planalto estava cedendo demais aos partidos em pontos que considera fundamentais do ajuste fiscal.

A antecipação do debate das eleições de 2018 trazido pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, defendendo a candidatura de Temer em 2018 irritou os tucanos, que aspiram à Presidência e têm três candidatos presidenciáveis - Aécio Neves, Geraldo Alckmin e José Serra - e gostariam de contar com apoio do PMDB lá na frente. Mas interlocutores do presidente têm ressaltado que o momento é de mirar na aprovação dos ajustes, para resgatar a confiança na economia, permitindo, assim, que o Brasil possa voltar a crescer e gerar os empregos perdidos nos últimos anos da administração petista. Sem essa recuperação da economia e dos empregos, alertam assessores palacianos, não há melhoria no cenário e ninguém consegue apoio da população, para ser convertido em votos para 2018, já que a popularidade do governo, assim como dos partidos aliados, não anda bem.

Portanto, o esforço do governo é para que todos se entendam, se ajudem e foquem, primeiro, na aprovação das medidas que permitirão recuperação do País e, em consequência, ajude a recuperar a popularidade do governo e dos aliados. O governo quer evitar que toda essa polêmica acabe minando as relações entre aliados, neste momento.

No jantar, Temer pretende reiterar que não é candidato a nada em 2018 e que precisa de apoio agora, não só para vencer o impeachment no Senado, como para aprovar medidas econômicas no Congresso para que, depois, se discuta eleição presidencial, sem deixar contaminar o ambiente agora.

O encontro com os tucanos, marcado para hoje à noite, já havia sido tentado pelo Planalto na semana passada, mas uma votação no Senado acabou atrapalhando os planos de Temer. Hoje está prevista a votação da Desvinculação de Receitas da União (DRU). Com isso, se por acaso não houver jantar, o encontro será remarcado para um café da manhã, para amanhã.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos