Shell: sindicato é contra novo acordo

São Paulo - O Sindicato dos Químicos Unificados de Campinas e Região divulgou nota na quarta-feira, 24, manifestando posição contrária à nova negociação do acordo homologado em 2013 pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), garantindo assistência de saúde vitalícia às vítimas da contaminação ambiental ocorridas na planta industrial da Shell e Basf, em Paulínia, interior de São Paulo.

Cerca de 400 ex-funcionários da Shell entraram na Justiça do Trabalho de Paulínia com petições, manifestando interesse em permutar o plano de saúde por uma indenização que pode chegar a R$ 1,5 milhão por beneficiário. Para o sindicato, o acordo foi uma "expressiva vitória em defesa dos trabalhadores, não sendo admitida a comercialização desse direito básico ao acesso à saúde e ao atendimento médico-hospitalar". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos