Aliados de Temer querem manter discursos, apesar do pedido para acelerar sessão

Brasília - A maioria dos senadores aliados do presidente em exercício, Michel Temer (PMDB), pretende discursar durante a sessão de julgamento final do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff desta terça-feira, 30, apesar do pedido do Palácio do Planalto para que desistam dos discursos para acelerar a conclusão da votação.

Até o momento, 66 senadores estão inscritos para falar. Tanto os parlamentares da base aliada de Temer quanto os da oposição, que já discursaram, usaram praticamente todos os 10 minutos a que tinham direito. Se esse ritmo for mantido, faltam ainda mais de 10 horas de sessão, contando uma hora de intervalo para jantar.

Com a previsão de que a sessão adentre a madrugada, alguns senadores aliados de Dilma estão defendendo deixar o discurso de 20 senadores para esta quarta-feira, 31. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, porém, já afirmou que quer acabar todos os discursos ainda na sessão atual.

Nesse cenário, a votação final do impeachment deve ficar mesmo para a manhã desta quarta-feira, 31, o que desagrada Temer. O peemedebista gostaria de tomar posse como presidente efetivo no início da manhã, para que pudesse viajar de tarde à China para participar da reunião do G-20.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos