ONU diz que índios brasileiros estão mais ameaçados hoje que há 30 anos

Em Genebra (Suíça)

A ONU afirmou, em relatório divulgado na quinta-feira (1º), que os grupos indígenas brasileiros estão mais ameaçados hoje que há 30 anos e a demarcação de terras no país está estagnada.

A organização ainda disse que os governos do PT enfraqueceram a Fundação Nacional do Índio (Funai) --por meio de cortes orçamentários-- e avaliou que a administração do novo presidente, Michel Temer, pode aprofundar ainda mais a crise indígena.

O informe foi produzido pela relatora da ONU para Direitos dos Povos Indígenas, Victoria Tauli-Corpuz, que esteve no Brasil em março deste ano, ainda no governo Dilma Rousseff.

Impacto

Ao citar a "discriminação estrutural" contra indígenas no país, a ONU disse acompanhar "com preocupação" a decisão de Temer de acabar com o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial, da Juventude e dos Direitos Humanos, o que "pode ter um profundo impacto sobre povos indígenas".

Segundo Victoria, o Brasil chegou a ser um dos líderes mundiais em demarcações, mas, nos últimos oito anos, não avançou. A relatora disse estar "preocupada com o fato de que a crise política e econômica sirva para tornar os problemas e direitos desses povos mais invisíveis e menos significativos". As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos