Após declaração de Temer, relator cobra PMDB sobre aumento para o STF

Em Brasília

  • Eduardo Anizelli/Folhapress

    O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES)

    O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES)

Relator do projeto que concede aumento para os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) cobrou nesta segunda-feira (12) que o PMDB reveja o posicionamento favorável à proposta, após declarações do presidente Michel Temer sobre o tema.

Em entrevista concedida ao jornal 'O Globo' divulgada neste domingo (11), Temer considerou como "gravíssimo" o impacto que o reajuste pode causar nos cofres públicos.

"Isso daí gera uma cascata gravíssima. Porque pega todo o Judiciário, outros setores da administração, todo o Legislativo", afirmou o presidente. Segundo ele, "não é o momento adequado para isso".

O projeto em discussão aumenta de R$ 33.763,00 para R$ 39.293,32 os salários dos ministros do STF. Os rendimentos dos integrantes do Supremo servem como referência para o teto do funcionalismo.

"A fala de Temer foi clara e objetiva. Espero que o PMDB possa rever aqui no Senado sua posição a favor do aumento", afirmou Ferraço ao jornal "O Estado de S. Paulo".

"Esse aumento trabalha na direção contrária do equilíbrio fiscal", emendou o senador tucano, que apresentou parecer contrário à proposta.

Por falta de um consenso, os senadores decidiram na última quinta-feira (8) adiar a votação de um requerimento de urgência que daria celeridade à votação da proposta.

Caso fosse aprovado o documento, o projeto seria discutido diretamente no plenário da Casa sem a necessidade de passar pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

Senado adia votação do reajuste salarial dos ministros do STF

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos