Desembargador montou ‘atuação estruturada’ com filho para venda de sentenças

Brasília - Na denúncia criminal contra dez alvos da Operação Expresso 150 por venda de sentenças no âmbito do Tribunal de Justiça do Ceará, a Procuradoria-Geral da República dedicou um capítulo para a formação da quadrilha.

Segundo o vice-procurador-geral José Bonifácio Borges de Andrade, que subscreve a acusação levada ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), o desembargador Carlos Rodrigues Feitosa ‘manteve uma atuação estruturada’ com seu filho Feitosa ‘voltada para captação de interessados em decisões liminares mediante pagamento de vantagens indevidas’.

Carlos Rodrigues Feitosa já responde a uma outra ação penal no Superior Tribunal de Justiça relacionada ao esquema. Ele é acusado pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos