Estudantes têm água e luz cortadas durante ocupação no Paraná

Curitiba - Os cerca de 100 estudantes, segundo o Movimento Ocupa Paraná, que estão no Núcleo Regional de Educação, em Curitiba, tiveram a água, luz e comida cortadas entre as 10 e 15 horas. Nesse período, a Polícia Militar cercou o prédio, localizado no bairro São Francisco, próximo à área central da capital e onde funciona também o Paraná Previdência - órgão de previdência do Estado -, mas sem autorização judicial precisou ficar do lado de fora.

Em Curitiba, 20 das 25 escolas que estavam ocupadas foram liberadas e o número de colégios ocupados no Paraná caiu para 301. Durante a tarde, dezenas de manifestantes também bloquearam as ruas próximas ao Núcleo.

No começo da tarde, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) encaminhou para a juíza da 5.ª Vara da Fazenda, Patrícia Almeida, a solicitação para reintegração de posse do Núcleo. Com relação às provas do Enem, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou por meio de coletiva, em Brasília (DF), que os alunos que não puderem realizar as provas nos dias 5 e 6 de novembro por causa das ocupações poderão fazer nos dias 3 e 4 de dezembro. A medida vai atingir 191.400 alunos no País.

No início das ocupações, no começo de outubro, havia 145 colégios ocupados e que serviriam de base para as provas, mas este número deve ser atualizado até o final do dia pelo instituto. Segundo a presidente do Inep, Maria Inês Fini, a situação no Paraná deverá ser resolvida pelo governo estadual. "Não cabe ao Inep ou ao MEC dar alguma orientação ao governo acerca do que está acontecendo", avaliou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos