Sessão da PEC do teto pode atrapalhar votação de reforma política no Senado

Brasília - A extensa sessão que vai deliberar sobre a PEC do Teto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pode atrapalhar a votação da reforma política, prevista para a tarde desta quarta-feira, 9, no plenário do Senado.

Tanto o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), quanto o senador Aécio Neves (PSDB-MG), autor da PEC da reforma política, confirmaram o compromisso de que essa fosse a única pauta do dia. A votação estava marcada para ter início às 15h e já está atrasada.

Renan afirmou que não dará início às votações no plenário enquanto não for encerrada a sessão da PEC do Teto na CCJ. Isso porque, com o plenário em funcionamento, as comissões não podem realizar votações e a PEC do Teto é a maior prioridade do governo Temer.

A sessão da CCJ já vai completar seis horas de duração. O alongamento da reunião se deve muito à atuação da oposição, que tenta atrasar a votação por meios regimentais. Os senadores contrários à PEC apresentaram dois votos em separado ao relatório oficial. Apenas essas leituras duraram quase três horas.

Agora a PEC está em fase de discussão e a maioria dos senadores da oposição se inscreveram para falar. Cada parlamentar tem até 10 minutos para o discurso.

Caso aprovada nesta quarta-feira na CCJ, a PEC do Teto segue para o plenário do Senado, onde precisa ser votada em dois turno. A primeira votação está agendada para 29 de novembro, enquanto a segunda é prevista para 13 e 14 de dezembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos