Deslizamento de terra mata dois em Petrópolis

Rio de Janeiro - Duas pessoas morreram depois que cinco casas foram atingidas por um deslizamento de terra e pedras em Petrópolis, região serrana do Rio, na noite de segunda-feira, 14. Os corpos de Paulo Souza, de 70 anos, e de Consuelo do Carmo, de 49, foram localizados por bombeiros na Rua Uruguai, no bairro Quitandinha, área nobre da cidade.

Segundo a Secretaria Municipal de Defesa Civil e Segurança Pública de Petrópolis, mais de mil toneladas de pedras e terra deslizaram em direção às casas, a partir de uma encosta de 200 metros de altura, por volta das 23 horas. As buscas começaram logo em seguida, mobilizando 41 bombeiros de quatro quartéis, além de policiais e agentes do município. Luiz Heleno do Carmo, de 51 anos, marido de Consuelo, foi o primeiro a ser localizado, com vida. Ele sofreu um ferimento na cabeça e foi atendido no Hospital Santa Teresa, de onde teve alta na tarde deste terça-feira.

A busca teve de ser interrompida na madrugada, por causa da chuva, e foi retomada pela manhã, quando os dois corpos foram localizados.

"Os esforços das equipes se concentraram, em um primeiro momento, no resgate às vítimas. Estamos ao lado das famílias neste momento difícil", afirmou o prefeito Rubens Bomtempo (PSB).

Nesta terça-feira, 15, fez sol em Petrópolis, mas após quatro dias de chuva intensa na região a Defesa Civil manteve o estado de alerta na área em que o deslizamento aconteceu. A Rua Uruguai permaneceu interditada durante todo o dia, diante do risco de novos desabamentos. Todos os imóveis a até 100 metros do lugar da tragédia foram desocupados pela prefeitura, por precaução. Pelo menos 15 famílias estão desalojadas. A prefeitura usou três imóveis para oferecer apoio aos desabrigados: a Igreja Santíssima Trindade, o posto de saúde anexo à igreja e o Centro de Educação Infantil Chiquinha Rola.

Em Teresópolis, outra cidade da região serrana, a chuva que começou no sábado deixou cerca de 60 pessoas desalojadas. Ninguém se feriu.

Na Baixada Fluminense, os sucessivos dias de chuva também causaram transtorno à população. Em Xerém, distrito de Duque de Caxias, entre sábado e domingo choveu mais do que a média do mês. Até esta terça, haviam sido registrados nove deslizamentos pela Defesa Civil. As enchentes deixaram muitos moradores isolados.

Cinco casas foram interditadas porque estão em situação de risco e ainda há perigo de desabamento. "O solo ainda está saturado. Agora (na terça-feira) estamos sem chuva. Esperamos que o tempo se mantenha para o solo firmar", disse o secretário de Defesa Civil de Duque de Caxias, coronel Silva Costa à TV Globo.

Tragédia. Entre 11 e 12 de janeiro de 2011, a chuva que atingiu o Estado do Rio provocou a maior tragédia natural da história do Brasil. Números oficiais são de 905 mortos e 191 desaparecidos. A maioria das mortes aconteceu em Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis, Sumidouro, São José do Vale do Rio Preto, Bom Jardim e Areal. Nessas cidades, 305 mil pessoas foram afetadas. Outros nove municípios acabaram atingidos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos