Maia inclui 'crise institucional' na pauta de reunião de líderes na Câmara

Brasília, 06 - Em reunião que já dura aproximadamente 1h30 com líderes partidários, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu na tarde desta terça-feira, 6, para que assessores deixassem a sala do encontro e que apenas os deputados permanecessem no local. O objetivo é conversar sobre a crise institucional provocada após decisão do ministro Marco Aurélio Mello do Supremo Tribunal Federal (STF) de afastar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Mais cedo, Maia afirmou que considerou o que o uso de liminar para afastar Renan Calheiros talvez não tenha sido o melhor caminho para análise da ação da Rede Sustentabilidade. O presidente da Câmara também citou mais cedo que o momento era adequado para o diálogo e restabelecer os laços entre os Poderes.

Segundo assessores das lideranças na Câmara, até o momento está mantida a decisão de que haverá sessão plenária nesta terça. A sessão será destinada a votar a Medida Provisória 745, que autoriza o Banco Central a comprar cédulas e moedas do real fabricadas fora do Brasil. O plenário da Câmara também deve ter o segundo turno da votação para uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata de recursos para o Superior Tribunal de Justiça e a análise da urgência para a tramitação de um projeto que libera turistas norte-americanos da necessidade de visto prévio para entrada no Brasil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos