Marcha da insensatez, diz Randolfe sobre Renan não acatar decisão de afastamento

Brasília - O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) criticou a resistência de Renan Calheiros (PMDB-AL) em acatar decisão liminar do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinou o seu afastamento da presidência do Senado.

"É o ápice da marcha da insensatez, é levar as instituições ao confronto total. É tocar fogo no Parlamento, como fizeram os nazistas", disse.

O oficial de justiça que iria notificar Renan o aguardou na sala da presidência do Senado por quase seis horas. Na tarde desta terça-feira, 6, senadores da Mesa Diretora assinaram um documento em confronto à decisão do STF no qual dizem não aceitar o afastamento de Renan.

Randolfe classificou a situação como absurda e afirmou que a decisão judicial precisa ser cumprida. "O Senado não pode ficar sem saber quem é o seu presidente", disse.

A liminar do ministro do STF que determinou o afastamento de Renan do cargo atendeu a um pedido da Rede, partido de Randolfe. A legenda alega que réus não podem fazer parte da linha sucessória da Presidência da República. Na semana passada, a Corte aceitou uma denúncia contra Renan, o que fez com que o peemedebista passasse a responder por uma ação penal.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos