Imbassahy deve ser anunciado ministro da Secretaria de Governo, dizem tucanos

Brasília - Em conversas realizadas nos últimos dias, o presidente Michel Temer e integrantes da cúpula do PSDB acertaram a indicação do líder do partido na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), para ocupar a Secretaria de Governo. O nome do tucano deve ser anunciado ainda nesta quinta-feira, 8, preveem deputados e senadores tucanos ouvidos pelo Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

A indicação dele ao cargo vem sendo costurada pelo senador Aécio Neves (MG), presidente nacional do partido, e é encarada por líderes da base aliada como uma forma de o Palácio do Planalto acalmar o PSDB e diminuir as críticas da legenda ao governo Temer.

Ex-prefeito de Salvador, o deputado é próximo de Aécio e também tem uma boa interlocução com o ministro das Relações Exteriores e senador licenciado, José Serra (PSDB-SP). A indicação dele também agradaria ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Desde que seu nome passou a ser cotado para o ministério, Imbassahy vem evitando falar com a imprensa. Ele tem evitado até mesmo circular pela Câmara. Desde o início da semana, o tucano não tem sido visto no plenário ou nos corredores da Casa.

A ideia é de que Imbassahy assuma o cargo já na próxima semana, para quando está marcada a eleição do novo líder do PSDB na Câmara, prevista para quarta-feira, 14. Dessa forma, já entregaria a liderança para o deputado que for eleito pela bancada.

A indicação do parlamentar baiano para a Secretaria de Governo também faz parte da negociação para amarrar o apoio do PSDB à reeleição do atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao comando da Casa. Imbassahy era um dos tucanos que queriam disputar a sucessão de Maia.

O ainda líder do PSDB vinha articulando nos bastidores para manter algum cargo político de destaque. Ele disputa internamente no PSDB da Bahia para ser o candidato do partido ao Senado na chapa que DEM/PSDB/PMDB das eleições de 2018. A outra vaga para o Senado na chapa será do PMDB e deve ser do ex-ministro Geddel Vieira Lima, que deixou a Secretaria de Governo.

O convite de Temer deverá selar, no entendimento dos tucanos, o ingresso do PSDB no núcleo duro do Palácio do Planalto, responsável pela formulação dos principais projetos do governo. Em relação às questões econômicas, a ideia do PSDB é se manter como um "braço auxiliar" apresentando ideias e sugestões.

Reformulação

Inicialmente, integrantes da cúpula do PSDB estavam reticentes de participarem do governo na articulação política tendo como referência o modelo atual adotado pelo Palácio. Nas negociações realizadas com Temer ficou acertado, contudo, que a Secretaria sofrerá uma reformulação de suas atribuições e também passará a se chamar Secretaria de Governo e Assuntos Federativos.

Segundo relatos de quem participou das negociações, a nova pasta vai cuidar, além da articulação com a base aliada do Congresso, da interlocução com os Estados, que atualmente está concentrada no ministério da Fazenda. Também ficará responsável por questões gerais como renegociações da dívida, empréstimos com BNDES, e assuntos referentes aos royalties.

A nova secretaria também deverá assumir a relação direta com movimentos sociais, papel que no governo do PT era realizado pelo ex-ministro Gilberto Carvalho. Acertou-se, ainda, que a estrutura do ex-ministério de Micro e Pequenas Empresas também será inserida na nova pasta.

Segundo relatos, a ampliação da participação do PSDB no governo também foi tratada em encontro realizado em São Paulo na última segunda-feira que contou com a participação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do governador do Estado, Geraldo Alckmin e do presidente do PSDB, senador Aécio Neves.

Se confirmado na Secretaria de Governo, Imbassahy será o quarto ministro do PSDB no governo Temer. O partido já comanda os ministérios das Cidades (Bruno Araújo), da Justiça (Alexandre de Moraes) e das Relações Exteriores (José Serra).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos