'Supremo falou, causa encerrada', afirma Raul Jungmann

Brasília - O ministro da Defesa, Raul Jungmann, considerou que "o impasse" vivido por conta da liminar concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), afastando do cargo o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), "foi resolvido por quem de direito", referindo-se ao plenário da Corte.

Jungmann tentou minimizar as críticas de que houve um acordão para salvar Renan com participação do STF, do Congresso e do Planalto. "Não creio que, necessariamente, tenha ocorrido um acordão, mas interpretação feita pelo STF, que é a quem cabe interpretar a Constituição". Para ele, esse assunto é "página virada" da crise.

"Supremo falou, causa encerrada", prosseguiu o ministro, justificando que havia um "conflito de interpretação" entre o STF e o Senado. O ministro evitou polemizar a decisão alegando que "vivemos teste de limite dos Poderes, que acabou solucionado pelo plenário do STF". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos