Falta de 'clima' deixa Reforma Política para 2017

São Paulo - A eleição para a presidência da Câmara dos Deputados e o aumento da crise política adiaram para 2017 a aprovação da reforma política discutida no Congresso Nacional. Apesar de já terem passado pelo Senado algumas mudanças nas regras eleitorais, deputados não votarão nenhuma proposta sobre o tema neste ano em comissão ou no plenário da Casa, o que impossibilita a aprovação definitiva das alterações.

"Não vai dar para aprovar nada este ano, principalmente o que veio do Senado", afirmou o deputado Vicente Cândido (PT-SP), relator da comissão especial da reforma política da Câmara.

Em outubro, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), prometeram um esforço para votar até o fim do ano mudanças nas regras eleitorais. O Senado já cumpriu sua primeira tarefa e aprovou em dois turnos uma PEC. Na Câmara, porém, a comissão especial ainda está na fase de debates sobre alterações no sistema eleitoral e financiamento.

Além da falta de "clima político", líderes partidários combinaram, nos bastidores, de deixar o tema em "banho maria" para evitar interferências na próxima eleição para os cargos da Mesa Diretora da Casa, prevista para fevereiro de 2017.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos