PEC do teto deve ser última reforma fiscal de Temer, diz Velloso

São Paulo - A proposta de emenda constitucional que limita os gastos públicos, aprovada na terça-feira, 13, no Senado, deve ser a última reforma fiscal conquistada pelo governo Temer, que poderá ser forçado a tentar corrigir as contas públicas via aumento de impostos, avaliou nesta quarta-feira, 14, o consultor econômico Raul Velloso. Para o especialista em finanças públicas, o Planalto chega enfraquecido à negociação da reforma da Previdência e a perda de capital político aumenta as chances de fracasso do projeto.

"Não consigo ver um Congresso que está se desmanchando aprovar algo tão impopular. O governo está muito fraco e o Congresso será muito pressionado. A fase áurea de tratamento de questão fiscal acabou", comentou Velloso durante seminário promovido na capital paulista pela InterNews.

"Não consigo ver que Congresso e Executivo estejam em condições de ter atuação conjunta necessária para aprovar esse tema", acrescentou.

Segundo Velloso, o governo precisará, então, olhar para o aumento da carga tributária, um caminho que, para ele, é o ideal, mas que esbarra na resistência da sociedade. Por isso, se for o caso, a equipe econômica terá que propor tributos que incomodem o menos possível, assinalou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos