'Controle é débil', diz Human Rights

São Paulo - O massacre de 56 presos em Manaus é um retrato do descontrole pelo que passam os presídios do Brasil. Essa é a opinião da advogada Maria Laura Canineu, diretora no Brasil da ONG Human Rights Watch. "As prisões no Brasil são um desastre, simples assim. A principal conclusão que podemos tirar é que o controle pelo Estado é completamente débil. Infelizmente, não tem sido incomum esse tipo de acontecimento. E não há garantia de que será um caso isolado", complementou.

A organização tem trabalhado mais diretamente com as prisões brasileiras desde os assassinatos em série no Complexo de Pedrinhas, no Maranhão, em 2013. "A superlotação não ajuda, nem o fato de não existirem agentes suficientes em número, nem qualificados o suficiente para lidar com rebeliões e com o sistema prisional." Para ela, isso abriu espaço para as facções. "Se o Estado estivesse controlando a quantidade de presos, provendo serviços que são necessário, não sei se haveria tanto espaço para as facções."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos