Gestora da prisão do massacre em AM fez doações para ex-deputado réu por tráfico

São Paulo - O Grupo Umanizzare e seus sócios injetaram cerca de R$ 800 mil na campanha de reeleição de Carlos Souza, ex-deputado federal pelo PSD que é réu por tráfico de drogas. A informação foi revelada pelo site "O Antagonista", nesta quinta-feira, 5.

A Umanizzare é a gestora do Complexo Anísio Jobim, em Manaus, onde 56 presos conheceram o inferno no primeiro domingo do ano - todos mortos, dilacerados e decapitados.

Os recursos foram doados pelas empresas Auxílio Agenciamento e da LCJ Participações, e pelos sócios Lelio Vieira Carneiro e seus filhos Frederico Carneiro e Lelio Carneiro Jr., além de Regina Celi - os dois últimos donos da Umanizzare, informou "O Antagonista".

A investigação contra Carlos Souza começou em 2009, quando ele exercia o cargo de vice-prefeito de Manaus (governo Amazonino Mendes). Ele chegou a ser preso, mas foi colocado em liberdade oito dias depois.

Como Souza, na ocasião, detinha foro privilegiado, o processo foi deslocado para a competência do Supremo Tribunal Federal (STF) em 2011. Os autos retornaram à primeira instância da Justiça do Amazonas em 2015 porque o político não conseguiu ser reeleito em 2014.

A remessa dos autos que citam o ex-deputado para a 2ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes da Comarca de Manaus ocorreu no dia 8 de abril de 2015.

Defesas

A reportagem tentou contato com o ex-deputado Carlos Souza, por telefone e por e-mail, mas não houve retorno. O espaço está aberto para sua manifestação. A empresa Umanizzare não retornou e-mail enviado pela reportagem. O espaço está disponível para a defesa da empresa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos