Líderes de facção que comandou ataque no RN são transferidos

Cinco homens apontados como líderes do ataque na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, foram retirados do local nesta segunda-feira, 16, e devem ser levados a uma unidade estadual que não foi informada pelo governo do Estado.

No sábado, 26 detentos foram mortos na penitenciária em Nísia Floresta, na região metropolitana de Natal. Segundo o secretário de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte, Wallber Virgolino, o massacre foi inevitável e a superlotação dos presídios é a principal causa dos episódios. Ele ainda disse o Estado "agiu bem" para controlar a rebelião, apesar das mortes.

"É inevitável e é culpa da superlotação dos presídios, problema que vem se arrastando há 20 anos e ninguém faz nada, nem Judiciário nem Legislativo nem Executivo", disse o secretário. "Há uma cadeia de incompetência que se houver responsabilização, todos tem que ser responsabilizados."

Ele afirmou que no passado o Estado deveria ter agido em fiscalização, julgamento de processos mais rapidamente e formulação de leis "mais duras".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos