Se eleito, Figueiredo diz que discutirá Previdência 'sem afogadilhos'

Brasília - Lançado oficialmente pelo PDT candidato a presidente da Câmara nesta terça-feira, 17, o deputado federal André Figueiredo (CE) afirmou que, se eleito, pautará a discussão da reforma da Previdência, mas não aceitará a retirada de direitos adquiridos dos trabalhadores.

"Não admitiremos tirar o direito de quem já não tem nenhum", afirmou em entrevista coletiva, após o lançamento da candidatura. Ele defendeu também que a discussão da reforma seja feita de forma clara e "sem afogadilhos". "Vamos discutir. Não seria votado no primeiro ou no segundo mês", disse.

Para o parlamentar cearense, por exemplo, é um "absurdo" estabelecer idade mínima para se aposentar para pessoas que não têm expectativa de vida compatível com a idade mínima, como exemplo, trabalhadores rurais.

Relação com Temer

Figueiredo afirmou que, apesar de ser da oposição, pretende ter uma relação "respeitosa" com o presidente Michel Temer (PMDB). "Ele sabe que questiono os métodos como ele chegou à presidência, mas não vamos voltar a bater nessa tecla", disse.

O deputado do PDT lembrou que teve uma boa relação com Temer quando era líder do PDT na Câmara durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Na época, o peemedebista ainda era vice-presidente da República.L

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos