Operação Lava Jato

Políticos da base defendem indicação de Alexandre de Moraes para STF

Em Brasília

  • Pedro Ladeira/Folhapress

    Alexandre de Moraes (e) já teria sido indicado por Michel Temer ao STF em 2014; o presidente nega

    Alexandre de Moraes (e) já teria sido indicado por Michel Temer ao STF em 2014; o presidente nega

Um dia após a morte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki em acidente aéreo no Rio de Janeiro, políticos da base aliada já começaram a sugerir ao presidente Michel Temer nomes para o substituto na Corte.

O presidente nacional do PR, o ex-ministro Antonio Carlos Rodrigues (SP), defendeu nesta sexta-feira (20) que Temer indique para a vaga deixada por Teori o atual ministro da Justiça, Alexandre de Moraes (PSDB). "Se depender do PR, vamos encaminhar o Alexandre", afirmou à reportagem.

Nos bastidores, políticos do PSDB também já defendem o nome de Moraes para o cargo. "O Alexandre seria um bom nome. Ele tem todas as qualificações", afirmou um tucano ligado ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), de quem Moraes foi secretário de Segurança Pública.

Em entrevista nesta sexta-feira ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, o ministro do STF Marco Aurélio Mello também defendeu o nome de Moraes. Na avaliação de Mello, o perfil ideal para a vaga é de alguém com "bagagem jurídica e experiência". "Temos, por exemplo, o ministro que está no Ministério da Justiça", sugeriu.

O nome de Moraes é um dos mais especulados nos bastidores para ser indicado por Temer para substituir Teori. Além do ministro da Justiça, são cotados a ministra-chefe da Advogada Geral da União, Gracie Mendonça, e o ex-procurador do Ministério Público de São Paulo Luiz Antonio Marrey.

Fachin

Como mostrou o Broadcast Político, Temer chegou a sugerir o nome de Moraes para o STF na vaga aberta após a aposentadoria do ex-ministro da Corte Joaquim Barbosa. A informação foi confirmada ao Broadcast Político por pelo menos três fontes que participaram das negociações na época.

Barbosa decidiu se aposentar do STF em julho de 2014. Com a aposentadoria, Temer, que, na época ainda era vice-presidente da República, sugeriu ao então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo - homem de confiança da então presidente Dilma Rousseff (PT) -, nomes de alguns juristas para a vaga, entre eles, o de Moraes.

Em abril de 2015, oito meses após a aposentadoria de Barbosa, Dilma acabou indicando para o Supremo o advogado Luiz Edson Fachin. A essa altura, Moraes já tinha sido nomeado secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, cargo que ocupou de 1º de janeiro de 2015 a 12 de maio de 2016, quando assumiu o Ministério da Justiça.

Apesar de pelo menos três fontes confirmarem que Temer sugeriu o nome de Moraes, a assessoria do presidente negou ao Broadcast Político que ela tenha indicado o nome do atual ministro da Justiça para o STF na vaga de Joaquim Barbosa. Segundo assessores, Temer apoiou a indicação de Fachin ao cargo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos