Atuação política não é motivo para discriminação, diz Moraes, indicado ao STF

De Brasília

  • REUTERS/Adriano Machado

O ministro licenciado da Justiça, Alexandre de Moraes, indicado ao Supremo Tribunal Federal (STF), se reuniu nesta quarta-feira, 8, com integrantes da bancada do PSDB no Senado. Na ocasião, ele rebateu críticas que tem recebido em relação ao seu perfil para ocupar uma vaga no Supremo dizendo que "não se pode discriminar o fato de (um indicado) ter atividade jurídica e ter atividade política".

O encontro foi realizado no gabinete do presidente do partido, senador Aécio Neves (MG), e contou com a participação dos demais integrantes da bancada da legenda no Senado.

Após a conversa, Aécio fez considerações semelhantes à de Moraes em entrevista concedida à imprensa. "Se nós formos fazer uma análise histórica, mais de 30% dos ministros do Supremo Tribunal, nos 20 anos, tinham filiação partidária ou serviram a governos antes de ir ao Supremo. Não é demérito algum. Eles participaram da vida democrática de seu país ou em partidos políticos ou servindo aos governos", ressaltou Aécio.

O senador lembrou ainda que, após ser indicado pelo presidente Michel Temer para a vaga deixada por Teori Zavascki, morto em acidente aéreo em janeiro, Alexandre de Moraes se desfiliou ontem do PSDB, partido no qual ingressou em 2015.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos