Policiais em greve

Justiça militar do Espírito Santo decreta a prisão de 4 policiais por motim

No Rio

  • Gilson Borba/Colaboração para o UOL

    Militares patrulharam as ruas do ES durante paralisação da Polícia Militar do Estado

    Militares patrulharam as ruas do ES durante paralisação da Polícia Militar do Estado

A Corregedoria da Polícia Militar do Espírito Santo está em busca de três policiais militares que tiveram a prisão autorizada pela Justiça militar, acusados de participação no motim que deixou diversas cidades capixabas sem policiamento desde o início do mês. Um quarto mandato de prisão, do tenente-coronel Carlos Alberto Foresti, foi cumprido no fim da tarde deste sábado (25), após o policial militar se entregar.

Os outros três policiais procurados são o capitão da reserva Lucinio Castelo de Assumção, o sargento Aurélio Robson Fonseca da Silva e o soldado Maxsom Luiz da Conceição.

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança do Espírito Santo, o tenente-coronel Foresti se apresentou na unidade da PM do Rio em Itaperuna, cidade próxima da divisa entre os dois Estados, e foi encaminhado para o Presídio da PM do Espírito Santo, em Vitória.

Na manhã deste sábado (25), as mulheres que representam o movimento de familiares que paralisou o policiamento no Espírito Santo por 23 dias, fazendo bloqueios nas entradas de batalhões da PM, decidiram acabar com o movimento, após nove horas de reunião, no Ministério Público do Trabalho capixaba (MPT-ES), com representantes do governo estadual e da Justiça.

Com isso, desde o meio-dia de ontem, foram desobstruídas as entradas de todos os batalhões que ainda tinham bloqueios.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos