Após declaração polêmica, Temer sanciona leis que valorizam mulheres

Anne Warth

Em Brasília

Vinte dias depois do discurso polêmico em que destacou a importância das mulheres no controle de preços de mercadorias nos supermercados, na criação dos filhos e na administração dos afazeres domésticos, o presidente Michel Temer sancionou três leis que, na avaliação do governo, destacam o compromisso com a "promoção da igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres".

De acordo com nota divulgada na noite desta segunda-feira, Temer sancionou uma lei que cria a Semana Nacional de Conscientização Sobre o Combate à Violência Contra a Mulher. A ocasião será comemorada na última semana do mês de novembro.

"Essa iniciativa visa a promover o esclarecimento e a conscientização da população em geral por meio de palestras, debates, seminários e outros eventos a serem organizados conjuntamente pelo setor público e entidades da sociedade civil", informou o governo.

Outras duas leis sancionadas nesta segunda aprovam a inscrição de Clara Camarão e Antonia Alves Feitosa no "Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria", depositado no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, em Brasília.

Clara Camarão lutou com as forças brasileiras na Batalha de Guararapes, em 1648. Já Antonia Alves Feitosa, conhecida como Jovita Alves Feitosa, foi voluntária do Exército brasileiro durante a Guerra do Paraguai.

"A inscrição de nomes de heroínas no 'Livro dos Heróis da Pátria' preenche uma lacuna na historiografia oficial e serve como estímulo à reflexão pelas gerações atuais e futuras sobre o papel decisivo desempenhado pelas mulheres brasileiras nos episódios mais críticos e relevantes da história nacional."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos