Entidades pedem à Procuradoria ação contra Bolsonaro por racismo

Julia Affonso, Luiz Vassallo e Fausto Macedo

São Paulo

O deputado Jair Bolsonaro (PSC/RJ) virou alvo de uma representação na Procuradoria-Geral da República, desta vez acusado de crime de racismo. Em denúncia à Procuradoria, a Coordenação Nacional das Comunidades Negras Rurais Quilombolas e a Terra de Direitos alegam que o polêmico parlamentar, em palestra no Clube Hebraica, no Rio, disse que "o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas". "Não fazem nada. Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gasto com eles."

Na avaliação das entidades, as afirmações de Bolsonaro caracterizam racismo, conforme o artigo 20, parágrafo 2.º da Lei 7.716/89.

A palestra de Bolsonaro ocorreu no dia 3. As entidades argumentam que o deputado comparou o quilombola "a um animal". Para a Coordenação das Comunidades e a Terra de Direitos, o peemedebista alimenta discurso racista de ódio. Parlamentares da oposição também protocolaram mais cedo uma representação contra o deputado pelos mesmos motivos.

A assessoria de imprensa de Bolsonaro informou que o parlamentar vai se manifestar por meio das redes sociais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos