Justiça de SP condena acusado de chefiar Máfia do ISS a 10 anos de prisão

Alexandre Hisayasu

São Paulo

A Justiça de São Paulo condenou a 10 anos de prisão integrantes da Máfia do ISS (Imposto Sobre Serviços) por crime de lavagem de dinheiro. O esquema foi descoberto pela Controladoria Geral do Município da gestão Fernando Haddad (PT) e pelo Ministério Público Estadual (MPE), em 2013.

Segundo as investigações, funcionários da Prefeitura, junto com despachantes e lobistas, extorquiam construtoras com dívidas na administração pública. Depois de pagar a propina, as empresas conseguiam descontos no ISS. A estimativa é de que o esquema criminoso desviou pelo menos R$ 500 milhões dos cofres públicos.

Os ex-fiscais Ronilson Bezerra Rodrigues, Eduardo Barcellos e Fabio Remesso; o empresário Marco Aurélio Garcia, e o contador Rodrigo Camargo Remesso foram condenados.

Rodrigo Remesso e Barcellos fecharam acordo de delação premiada, que foi parcialmente aceita pela Justiça, e vai cumprir pena de 6 anos em regime aberto. Ronilson, Fábio e Marco vão cumprir penas que chegam a 10 anos de prisão em regime fechado. Porém, todos têm o direito de recorrer em liberdade. A mulher de Ronilson, Cassiana Alves, foi absolvida das acusações.

O promotor Roberto Bodini, responsável pelas investigações, informou que avalia se vai recorrer da sentença. A reportagem não localizou os advogados dos réus.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos