'É preciso separar o joio, sem pânico', diz especialista

Isabela Palhares

Juliana Cunha, coordenadora da organização Safernet, diz que "não há evidência de que o jogo seja real e, muito menos, de que poderia ter causado os suicídios". "É preciso separar o joio do trigo, sem criar pânico."

Segundo ela, as pesquisas sobre o uso do jogo por usuários brasileiros se intensificou após uma reportagem de TV em 4 de abril. "A abordagem não contribui para informar, mas para ensinar as pessoas como jogar. Isso sem nem ao menos saber se ele realmente existe. Depois dessa reportagem, o termo baleia-azul entrou para o Trending Topics (ranking de termos mais usados) do Brasil e está entre os mais procurados no Google e em grupos de Facebook." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos