Ministro do STF concede habeas corpus a Renato Duque, mas ele continuará preso

Breno Pires e Rafael Moraes Moura

Brasília

  • Sergio Lima/Folhapress

    19.mar.2015 - O ex-diretor da Petrobras Renato Duque, acusado de receber propina no esquema de corrupção da estatal, presta depoimento à CPI da Petrobras na Câmara

    19.mar.2015 - O ex-diretor da Petrobras Renato Duque, acusado de receber propina no esquema de corrupção da estatal, presta depoimento à CPI da Petrobras na Câmara

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu estender habeas corpus ao ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque para revogar a prisão decretada pela Justiça Federal do Rio de Janeiro. Mas Duque seguirá preso, porque tem prisão preventiva decretada pela Justiça Federal do Paraná, na Operação Lava Jato.

O ex-diretor da estatal está preso desde 16 de março de 2015. Na Justiça Federal do Paraná, em duas ações penais, Duque tem execução penal provisória em uma primeira condenação a 20 anos e 8 meses de prisão, e uma outra condenação a 6 anos e 8 meses.

A prisão decretada na Justiça do Rio de Janeiro é posterior à da Lava Jato e foi dada na Operação Sangue Negro, que investiga o desvio de dinheiro de contratos da Petrobras para o pagamento de propina a partir de 1997.

Na Lava Jato, o juiz Sérgio Moro, da 13.ª Vara Federal do Paraná, aponta que Duque, mesmo após a deflagração da operação em março de 2014, seguiu cometendo crime de lavagem de dinheiro e ocultando os valores oriundos de propinas em contas secretas no exterior, com empresas offshore.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos