Com greve no DF, centros de assistência social e apoio a mulher não funcionam

Bernardo Gonzaga - Especial para a AE

Brasília

Servidores da Assistência Social e Cultural do Distrito Federal também estão na greve geral de desta sexta-feira, 28, contra as reformas do governo do presidente Michel Temer. Segundo o diretor de Comunicação da categoria, Carlos Frederico Coelho, a greve dura 24 horas e os principais pontos afetados são casas de atendimento a criança, adolescente, idoso e família (albergues) e o Centro Especializado a Atendimento à Mulher (Ceam), que recebe mulheres que sofrem violência doméstica.

Coelho informou que, nesta sexta, a mulher que sofrer algum tipo de violência e precisar do atendimento do Ceam deve primeiro ir a uma delegacia e esperar até amanhã para poder ser atendida no centro.

A categoria afirma que "a paralisação é uma briga não só dos trabalhadores, mas também das mulheres e da população mais carente".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos