Temer diz que não há derrotas da Lava Jato no STF, há revisões

São Paulo

O presidente Michel Temer (PMDB) afirmou que não concorda com a tese de que a Operação Lava Jato sofreu derrotas no Supremo Tribunal Federal (STF). Por outro lado, criticou as "brigas" entre a Suprema Corte a primeira instância judicial. As declarações do peemedebista foram dadas em entrevista para a RedeTV! exibida na noite desta quinta-feira (4) e gravada na última terça (2), no dia em que o Supremo revogou a prisão preventiva do ex-ministro José Dirceu.

"Não há derrota, há muitas vezes revisões. O que não pode haver é briga entre instâncias", disse o presidente. Ele afirmou que esteja que o Judiciário cumpra seu papel "como vem cumprindo" e que não haja "divergência de natureza política dentro do Judiciário", mas que se aplica a lei com base em decisões de fato concreto.

Tendo ministros investigados na Operação Lava Jato, o presidente disse que "é facílimo governar nessas condições" por causa da regra de corte que criou - ministros afastados temporariamente se forem denunciados no STF e definitivamente se virarem réus. "Eu fiz um corte determinado que é pautado pela ordem jurídica, porque as pessoas pensam que quando um delator fala de alguém, pronto, vamos parar o País, porque o delator falou de fulano. Eu dito o seguinte: o delator é alguém que fala de outrem e, quando ele fala de outrem, você precisa fazer uma apuração", afirmou.

O presidente disse ainda que não tem problema em governar com os ministros citados. "Não tenho problema nenhum quanto a isso, tenho pessoas competentíssimas que me ajudam no governo e me dão todo o respaldo administrativo". (Daniel Weterman - daniel.weterman@estadao.com)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos