Secretário de Alckmin, Arnaldo Jardim diz repudiar 'falsa acusação' de delatores

Breno Pires e Rafael Moraes Moura

Brasília

Alvo de pedido de investigação no Supremo Tribunal Federal (STF) por parte da Procuradoria-Geral da República (PGR), o deputado federal licenciado e atual secretário de Agricultura e Abastecimento do governo de São Paulo, Arnaldo Jardim (PPS-SP) enviou nota à imprensa na qual afirma repudiar o que chama de "falsa acusação" feita por delatores da Odebrecht de que teria recebido doações não contabilizadas.

A PGR pediu que o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, autorize um inquérito contra Jardim para apurar suspeita de crime de falsidade ideológica eleitoral.

"Tive notícias de narrativas de delatores ouvidos pelo Ministério Público Federal, que atacam e maculam minha honra. Repudio a falsa acusação. Nunca pedi, ou autorizei que o fizessem em meu nome, doações não contabilizadas em minhas campanhas eleitorais", disse o atual secretário do governo Alckmin.

"Todos os recursos que recebi como doações para minhas campanhas foram devidamente registrados junto ao TRE-SP. Recursos foram repassados dentro da lei e minhas contas aprovadas", acrescentou.

Licenciado do mandato de deputado federal para atuar como secretário estadual, Jardim não perde a prerrogativa de foro no Supremo Tribunal Federal. A Procuradoria-Geral da República, a princípio, havia considerado que o caso dele deveria seguir para a primeira instância, mas mudou de posicionamento após o alerta feito pelo relator da Lava Jato, ministro Edson Fachin. Só então o procurador-geral, Rodrigo Janot, pediu a abertura de investigação na própria Suprema Corte.

"Estou à disposição da Justiça para prestar os esclarecimentos necessários. Confio na Justiça brasileira, que saberá distinguir a verdade das mentiras. Em mais de 30 anos de vida pública, tenho uma trajetória límpida e honrada. Isso me deixa com a consciência tranquila", disse Arnaldo Jardim.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos